30.10.07

Argentina

(Cozinhamos ao jantar. Pomos a roupa a lavar regularmente. Vamos ao supermercado comprar pasta de dentes. Não queremos ver tudo num só dia… Começámos a viajar. Já não me sinto de férias. Pela primeira vez tenho consciência do que poderá ser um ano a viver assim, em deslocação. E se a deslocação é um lugar eu não queria estar noutro)

Mas… Argentina. Que era o que eu vinha aqui fazer!
Buenos Aires: sou eu. Respirei a cidade com essa surpresa, de me identificar em cada canto. Passo de mansinho para Iguaçu, para não ceder a tentações auto-biográficas.
Cataratas de Iguaçu: não cabem num rectângulo. Quando inventarem uma fotografia sem arestas talvez se consiga transmitir aquela imagem. Qualquer viagem (mesmo de 20 horas seguidas) é pequena comparada com aquela imensidão. O som. O som. Como se nos engolisse.
PATAGÓNIA:
Sobre a Patagónia lá terei que escrever um livro. (risos)
A primeira fotografia foi à nossa chegada, Península de Valdés. As baleias estavam a 15m da praia. Foi a altura em que mais temi por uma acção do Miguel. Observava a sua indecisão: entro ou não entro no mar? Entrou. Felizmente a água congelava e foi só até aos joelhos, porque aquelas meninas mediam entre 15 a 17 metros.
Quem me conhece sabe que só gosto de gatos e de sete cães (Maria, Fumaça, Arpão, Gaspar, Nata, Jose e Ulisses). Gosto mais ou menos de todos os outros animais e odeio de morte alguns… Até às Galápagos. Desarma qualquer um estar tão perto de animais impensáveis. Imaginava que só em África iria sentir algo igual… Até à Península de Valdés. Nada se compara à força de um salto de uma Baleia Austral, ao seu cantar, à suavidade com que brincam com o barco onde as pessoas (nós) se estendessem o braço lhes podiam tocar. Dificilmente vamos sentir algo parecido… E nem quero pensar que possa vir a dizer: Até à Austrália! Acho que os animaizinhos que por lá vivem não se resumem a cangurus.

A cidade seguinte foi só de passagem. Dormimos uma noite em Rio Gallegos e sobrevivemos. É tão linda como Alfragide. Com uma particularidade: foi o primeiro (desconfio que único) sítio em que agradecemos o peso da mochila. Aliás, podemos mesmo dizer que fomos os primeiros portugueses a serem salvos pela própria mochila. Não sabia que era possível o vento atingir aquela velocidade. Estivemos muito perto de atingir um sonho: voar. Quando conseguimos arrastar-nos até à paragem de um autocarro perguntámos:
- Esta tempestade vai continuar por muitos dias?
- Tempestade?
- Sim… mas… este vento costuma estar assim?
- Não. Estamos na Primavera. Costuma ser muito pior.

Comecei a perceber a Patagónia.

Todos os dias sinto que tudo o que temos vivido é demasiado para dividir apenas por dois. Gostávamos de actualizar o blogue mais regularmente. Não temos conseguido. Deixamos as Baleias falarem um bocadinho por nós e vamos viver mais Patagónia. Teremos muito para dizer.
C.

13 comentários:

Didi antes do começo de 1 dia de trabalho disse...

A aventura só tem sentido, quando vivida sem perigo de morte, com alguma cautela, (sabem que tenho medo?) penso que nenhum dos dois sabe o que significa esta palavra.
Bjs

Patricia disse...

Dizem que uma "foto vale mais que mil palavras". Depois de ler o teu texto deixei de acreditar nisso.
Julgo que por momentos ouvi o som das baleias a baterem no mar.
Continuem a partilhar connosco porque assim também nós nos sentimos aventureiros.
1000000000000000000000000000000000de beijocas da Tita

Patricia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sound and Fury, signifying nothing disse...

Ri a bandeiras despregadas com a descrição do vento e com o teu receio pela vontade do Miguel de entrar na água e juntar-se às "levezinhas" baleias. É muito bom também rir com as vossas aventuras, em lugar de apenas... ter vontade de chorar de tamanha... inveja.

Ana rr disse...

Continuam no vosso extraordinário caminho. Que bom! Parabéns pela coerência. Recebi o vosso mail e respondi. Terá chegado ao destino? Podem sempre contar comigo para o que precisarem, já sabem. Pedro e Clara continuam a seguir, no globo terrestre que têm em cima da secretária, a estantosa viagem da "Clara Grande e do Zé Miguel". Com esta vossa aventura, já aprenderam mais de geografia do que muitos adultos que para aí andam! Um beijo. Ana

alf disse...

hummm... o Miguel quiz saber o que o Jonas sentiu eheheh... não te preocupes, provavelmente o Miguel entende-se melhor com uma baleia do que com o gato de que gostas, a baleia não arranha!

Vamo-nos transformando no que fazemos não é? Ainda te nascem asas, ainda te nascem asas...

Anónimo disse...

Olá Clara e Miguel !
O meu nome é Mitó, sou amiga da Clara Gomes (Carrapateira) e sogra da Rita Cortes (tenho uma neta linda que é a Mafalda). Sigo com mto interesse a vossa aventura desde o início, e todos os dias venho ver se há novidades. Gosto imenso de viajar, de fotografar e de ler, portanto imaginam como me identifico convosco.
Clara, você escreve com poesia nas palavras. Adoro. E você, Miguel, é craque nas fotos. Parabéns.
Portanto, aguardo ansiosamente novas histórias e novas fotos, que vocês amavelmente partilham connosco.
Aceitem um beijo meu para ambos.
Mitó

Anónimo disse...

Estou a ensinar à Zé a fazer comentários. Já entendeste porque é que ela ainda não fez nenhum que ficasse publicado. São estas coisas modernas que os "velhinhos" não dominam.
Bjs Didi

Anónimo disse...

Quem me dera ter menos 50 anos e andar a correr mundo com voçês.
Mundos de mares e ilhas, de serras e pântanos, de animais encontrados e perdidos mas nunca esquecidos.
Quem me dera ouvir o canto da baleia, ver o salto do golfinho e avistar a célere corrida das tartaruguinhas para o mar!
Tudo o que mais longe se vê mais fica na memória a fazer-nos compnhia. Até outro dia.
Bjs da Zé.

cima disse...

Só nos anos da minha mana teresa... (e vao meio seculo), perguntei por vcs...passo a ser um residente do vosso muito bonito blog...e tu escreves á farta(a revista volta ao mundo que se cuide), quanto ao homem das fotos ainda tem muito para aprender...hehehe, muitas vezes tem o sol de frente...noutras deve tar a ver as miudas a passar e desfoca-as(surfista é mesmo assim)...enfim que vos corra ou melhor vos ande tudo na maior.
P.S. o ensino ta cada vez pior sairam na melhor altura se precisarem de ver o tempo o melhor é http://www.wetterzentrale.de
Beijos dos colegas maneis

Nuno disse...

Sim, na Austrália vão-se passar com os animaizinhos que por lá andam a saltitar e não só... o Miguel vai-se passar quando for a Surfer's Paradise ;) Que saudades!! E a Nova Zelândia... nem vos conto, vejam pelos vossos próprios olhos a magia que lá existe!!
Ahhh, é verdade (antes que me esqueça) já estão anunciados no meu blog,
http://dream-ambiente.blogspot.com/
,
que ainda q não seja muito actualizado nem visto sempre é uma ajudita para levar as vossas histórias a mais uns quantos "Cidadãos do Mundo"! :)
Um grande abraço do primo Nuno Mendes!!!

Clara disse...

Grande viagem..........sou uma fã...bem quando chegarem à Australia e Nova Zelândia (como diz o Nuno) nem quero pensar, e MALDIVAS!!!!Ui,ui.
Muitos beijos.
Clara Gomes

OrCa disse...

Cá vou acompanhando o vosso périplo, fazendo votos para que os ventos, por mais intensos, vos sejam sempre de feição.

Se puderem, deixem aí um convite às baleias para que venham visitar a praia de Carcavelos... que isto, por cá, já só vai de baleia para cima.

Abraços.

Jorge Castro