14.1.08

Polinésia Francesa (Tahiti, Moorea, Huaihine e Raiatea)

Era uma vez. Uma imagem.
De uma família a receber-nos no Tahiti com colares de silêncio e flores brancas. Tínhamos acabado de chegar a um lugar onde tudo é diferente. Onde se apaga o resto do mundo e a terra nos foge dos pés. Onde tudo se passa dentro do peito.

Era uma vez. Um sopro.
De verde. De azul. De acaso. A cada passo quase um abismo.
Numa primeira volta à ilha uma tontura de imensidão impede-nos de acreditar. Depois, de mansinho, conseguimos levantar os olhos. São as árvores que começam. Pesadas, debruçam-se para nos oferecerem fruta. Quase sentimos o alívio. Num instante seguinte, imperceptível, o mar inunda-nos com corais e transparência. E não deixamos de ser nós. Só passamos a ser mais terra.

Era uma vez. Um espanto.
Numa ilha tão longe que pensamos que não existe. Em Huahine. Descobrimos que se pode respirar enquanto se vive a novidade. Um casal com cinco filhos mostrou-nos isso quando nos recebeu dentro da sua humanidade. Não sei o que aprendemos. Que os mortos se enterram na areia do jardim? Que se pode viver ao ritmo do sol? Que há árvores que nos abraçam? Não sei. Talvez não seja preciso aprender nada.

Era uma vez. Uma dança. Uma montanha. Uma ilha sem ninguém.
Em que os braços falam da chuva e da memória com uma harmonia que não cabe nas mãos. Em que os pés sobem com surpresa. Onde a recordação é demasiado grande para se guardar.

Era uma vez. Um início.
Quando nos despedimos e recebemos de cada pessoa um colar de búzios.
Não significam o nosso regresso. Emprestam a voz ao desejo que regressemos. Acrescentam-nos.
Era uma vez uma crónica diferente. Sem linhas de invenção. Porque sim. E porque há momentos que nos transformam a vida. Simples instantes ou dias inteiros. Como estes.
C.
(pode ler-se também no Miniscente)

21 comentários:

cima disse...

Muito bonita a cronica e o sitio deve ser maravilhoso...nao contem nem mostrem, nao vao os outros homens estraga-la.

Mitó disse...

Que lindo !!!
Fotos fantásticas e o texto ... bem, já o tinha lido no Miniscente, mas é sempre bom reler.
Desejo-vos um excelente 2008 e por favor continuem !!!
Um beijo para os dois.
Mitó
(amiga da Clara Gomes)

Ana rr disse...

Zé, desculpa, hoje a mensagem é para a Clara. Clara: pensa seriamente em escrever quando acabarem essa vossa aventura. Digo-te eu que passo a minha vida a ler e a escrever, que faço da escrita o meu ganha pão e que reconheço na tua escrita uma emoção genuina, inocente, feroz, e uma qualidade que não é comum encontrar. Se eu puder ajudar...
Por falar em escrita, espero contribuição para o primeiro número da GINGKO, que sai em Março com o SOL. Vejam, por favor, o vosso mail....
Um beijo
Ana
PS - Belas fotos, Zé!

Nélinha disse...

É sempre com emoção que vejo as vossas fotos e leio os vossos textos ansiosamente aguardados. Peço desculpa pela apropriação, mas faço minhas as palavras da Ana Rita.
Clara: estás proibida de não continuares a dar-nos o prazer da tua escrita após a vossa diáspora!
Beijinhos

Paulo Leitão Santos disse...

À Clara e ao Miguel só posso dizer que continuo apaixonadamente a ver e a rever o vosso blog. Desejo-vos que tudo corra pelo melhor e que nos continuem a enviar textos e fotos como estes.
Entretanto coloquei um link e um post sobre a vossa aventura no meu blog: http://triatlo-peniche.blogspot.com/
Beijinhos
Paulo Renato

Paulo Leitão Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sonia disse...

Ola Clara,

Ler o teu poema foi um momemto especial. Condordo com as tuas amigas que tens que continuar a escrever. :) Tenho gostado muito das fotos e dos textos. A vossa viajem e um sonho! Aproveitem e continuem a gozar todas as experiencias. Beijinhos. Sonia (irma da Tita) :)

cadeiradopoder disse...

Comecei pelas fotos e acabei no projecto. A viagem é fantástica e merece ser vista e revista. Vou adicionar link.

Anónimo disse...

Narrativa poética lindíssima
Fotos espectaculares
Pessoas felizes.
beijinhos

Heloisa

OrCa disse...

Não sei para que lado me descaia, se para o das imagens, se para o das palavras...

Fico-me, assistente, embevecido pelas notícias que nos trazem de um mundo que, afinal, ainda existe.

Abraços.

Anónimo disse...

a Zé
Nem sei o que vou dizer! Chóro.
Pela beleza das ilhas. Pela vossa resplandecente felicidade. Pelo o belíssimo Mar e as lindas árvores e cabanas. Pelos ternos animais e as incomparáveis crianças. Um mundo maravilhoso que eu nunca sonhei. Que vocês consigam abranger tudo no vosso coração. Beijos e comovidas lágrimas,
Da Zé.

diogo disse...

Forte e grande abraço Zé! Grande beijo Clara! Parabéns pela vossa "life less ordinary".
Diogo (S. Pedro de Moel)

alf disse...

quando voltarem têm de me explicar tudo sobre essa experiência. Depois de publicar o meu livro vou viver para aí uns tempos ehehehe... o primeiro esboço de enredo que fiz para o livro era aí passado, já vêm como me fascinam esses horizontes onde o paraiso ainda se sente...

tininha* disse...

post mais lindo, texto e foto espetaculares
beijinho* stora

cadeiradopoder disse...

Muito bem escrito, prosa agradável.

dakidali disse...

Olá
Tive conhecimento desta vossa aventura por umas colegas da escola de Alcobaça. Fiquei impressionada com a vossa determinação e cheia de inveja de não ter coragem para fazer o mesmo. Que tudo vos corra como desejado e vou seguir-vos as pegadas pelo blog.
Boas viagens!

Ana rr disse...

Olá Zé, Olá Clara!
Vejam o vosso mail. Estou à espera da vossa colaboração para a GINGKO! Será um orgulho para mim! Continuação de boa viagem! Eu estou aqui a acompanhar!
Ana

bruno cunha disse...

muito bonito o teu texto!
e as fotos dos locais por onde têm andado, que inveja...
:P
continuem e aproveitem!

Janot disse...

Olá Clara e Zé!
Depois de algum tempo afastado, eis que regresso ao vosso blog e continuo a gostar muito de vos ler. Na impossibilidade de o poder fazer nos tempos mais próximos, nada como ler as vossas crónicas e viajar no imaginário. então quando chegarem à indonésia... aí é que a (minha) saudade vai apertar... Have fun!

Anónimo disse...

Só posso dizer que gostava de estar no vosso lugar,tudo fantástico. Há alguém deste lado que tem muitas, muitas, muiiiinnnntassssss saudades. Estive a "reparar" as asneiras da clarinha (mãe) para poder falar convosco sem problemas. Que corra tudo de bem para vós.
Um beijo para os dois e desculpem não escrever mais, mas não é o meu forte. Beijinhos Sónia

Hama disse...

A viajar pelos sete mares, com a gaivotas por companhia. Estou verde de inveja.

Beijos,
H.